Obama afirma: “Cabo Verde é uma verdadeira história de sucesso”

O Presidente dos EUA, Barack Obama, elogiou esta quinta-feira o desempenho de Cabo Verde que, em poucas décadas, evoluiu de um rendimento per capita de 200 dólares por ano para 4 mil dólares por ano, e concluiu que o arquipélago “é uma verdadeira história de sucesso”. O presidente norte-americano destacou ainda a gestão de Cabo Verde que vem colocando o país no meio da tabela em termos de desenvolvimento, tudo por causa, diz, da boa governação.

Barack Obama fez estas declarações durante o encontro que manteve esta quinta-feira, na Casa Branca, com o Primeiro-Ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, e com outros três presidentes africanos.

O inquilino da Casa Branca saudou os chefes de Estado do Senegal, Macky Sall, do Malawi, Joyce Banda, e da Serra Leoa, Ernest Bai Koroma, e o primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Pereira Neves, com os quais o Governo americano diz ter “fortes parcerias com base em valores democráticos comuns e interesses partilhados”.

A Casa Branca considera que cada um desses líderes presentes na reunião com Obama, tem empreendido esforços significativos, nos seus países, para fortalecer as instituições democráticas, proteger e expandir os direitos humanos e liberdades civis, e aumentar as oportunidades económicas para seus povos.


Por isso, disse que as discussões iriam centrar-se nas formas de continuar a construir democracias fortes com transparência, porque tudo o que foi feito nos últimos anos foi graças à boa governação. Entretanto, reconhece que ainda há muito trabalho a ser feito, pelo que os EUA apresentam-se como um parceiro sobretudo para ajudar nas várias ameaças à região, como terrorismo, tráfico de drogas e armas.



"Agora, muitas das ameaças são transnacionais. O terrorismo está a infiltrar-se na região. Temos visto que os cartéis de droga estão a usar a África Ocidental como um ponto de trânsito. Tudo isto enfraquece alguns dos progressos que têm sido feitos, e é por isso que os Estados Unidos vão continuar a cooperar com cada um dos países para tentar encontrar soluções inteligentes para que eles possam desenvolver a capacidade adicional e ter certeza de que esses problemas não crescem na sua região", garante Obama, que não termina sem antes agradecer o "trabalho extraordinário" dos países africanos.


O Presidente Obama e os seus convidados debateram a possibilidade de alargar essa parceria com os EUA, para aprofundar os ganhos e expandir as oportunidades de progresso a outros países do continente.


Durante esta visita a Washington, os líderes africanos participam de várias reuniões e eventos para reforçar a cooperação bilateral. Do programa constam um jantar oferecido pelo Conselho Corporativo para África para discutir comércio e oportunidades de investimento com participação de empresas norte-americanas; um debate público sobre a democratização em África; e uma mesa redonda com a presença de funcionários do governo dos EUA, para discutir o desenvolvimento económico.


Ainda nesta quinta-feira, os três chefes de Estado e o primeiro-ministro de Cabo Verde foram recebidos, no Pentágono, pelo Secretário de Defesa, Chuck Hagel. Na reunião foram debatidos o reforço da segurança marítima, as prioridades comuns no combate ao terrorismo e a luta contra as ameaças transnacionais.


Em declarações à Agência Lusa, José Maria Neves disse que o encontro correu muito bem e foi importante para a relação bilateral entre os Estados Unidos e o continente africano.



Visão News
Share on Google Plus

About Ponta Kurral

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

1 comentários:

  1. Procuro informações sobre o naufrágio do navio Bolama ocorrido a 4 de Dezembro de 1991 em águas portuguesas. Durante as buscas chegou a ser avançado que o navio estaria a navegar ao largo de Cabo Verde. Investigação jornalistica. Ver blog: naviobolama.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Os comentários são bem-vindos e importantes.

Esteja a vontade para comentar este artigo mas sem insultar quem quer que seja, pois este não será aprovado.