Lúcio Antunes deixa jornalistas francófonos e anglófonos a “ver navios”


Selecionador cabo-verdiano disse que só falaria em português na conferência de imprensa

Os cerca de três dezenas de jornalistas que se posicionaram domingo, 14, na sala de imprensa do Estádio Ahidjo Ahmadou, em Yaoundé, e que queriam ouvir palavras de Lúcio Antunes, em inglês ou em francês, ficaram a “ver navios”.

Mal entrou na sala de imprensa, no final do jogo Camarões – Cabo Verde (2-1), Lúcio Antunes foi abordado pelos jornalistas sobre a língua que iria utilizar. «Hoje é o dia da língua portuguesa», lançou o selecionador de Cabo Verde, perante uma plateia de jornalistas que não «precisavam do português para coisa alguma».

Lúcio Antunes começou por fazer a sua leitura do jogo, em português, claro: «Naturalmente estamos contentes porque realizamos um bom jogo a equipa esteve bem, marcamos o golo na primeira parte e a partir daí a equipa jogou tranquila e foi uma questão de gerir o resultado até ao apito final».

Os jornalistas insistem e o selecionador com toda a paciência do mundo explicou-lhes que domina o inglês e o português, não fosse ele controlador de tráfego aéreo de profissão, mas que domingo era dia da língua portuguesa. «Meus senhores, boa tarde», lançou o selecionador no exato momento em que se levantou e abandonou a sala.

O que se seguiu, então, foi uma espécie de conferência de imprensa para a comunicação social cabo-verdiana, mas agora à porta do balneário dos Tubarões Azuis.

«Jogadores perceberam que chegou o momento de uma qualificação para a CAN, colocaram na cabeça de que não poderiam perder esta oportunidade depois de uma vitória categórica no Estádio da Várzea, perceberam o que a equipa técnica quis, perceberam a ambição da FCF, do Governo e do povo cabo-verdiano e sentimos que era possível conseguir a qualificação», sintetizou Lúcio Antunes.

Ademais, acrescentou, a equipa esteve «serena e tranquila», mas também «lúcida nos processos defensivos e atacantes», pelo que a qualificação foi conseguida «com mérito, essencialmente dos jogadores».

A três meses do arranque da CAN’2013 da África do Sul, o selecionador não tem dúvidas de que Cabo Verde pode fazer boa figura. «Jogamos sempre para ganhar e, digo mais, os nossos jogadores, pela sua qualidade e capacidade, podem ganhar em qualquer país de África a qualquer adversário. Nossa ambição é ganhar, ganhar», concluiu Lúcio Antunes.

Fonte/Inforpress
Share on Google Plus

About Ponta Kurral

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Enviar um comentário

Os comentários são bem-vindos e importantes.

Esteja a vontade para comentar este artigo mas sem insultar quem quer que seja, pois este não será aprovado.